Instrumentos reutilizados de percussão indireta
Instrumentos dos Pequenos

Os instrumentos e objetos sonoros são uma mais-valia para Música nas AEC, inclusive a adaptada. Com experimentação, pesquisa e conhecimento os objetos ganham novas funcionalidades.  Reutilizando materiais, desenvolve-se a criatividade, a música melhora e o ambiente agradece.

Queres-queres, idiofone de agitamento e concussão reutilizado, inspirado no kes-kes ou kosika africanos; dois pequenos recipientes esféricos ou ovais com sementes, ligados por um fio;

Tábulas de choque, com pequenas ripas com manípulo, ligadas por dobradiça de couro, semelhantes ao chicote, de Portugal e do Brasil. Quando as pequenas tábuas batem uma contra a outra, lembram um chicote a estalar. Sem a dobradiça, podem ser percutidas em diferentes lugares produzindo sons diferentes.

Cartaxitos, pequeno idiofone inspirado no cartaxo, cartaxinho (ou grilinho tradicional da Madeira), feito de latinha de atum, colher de gelado e fio de borracha;

Unicórdios, instrumentos de uma só corda feitos de embalagem de lasanha da Mercadona com fio elástico percutido por um pau de sushi;

Maragémeas, maracas iguais interligadas, feitas de dois frascos plásticos de fruta Compal ou de leite UCAL unidos por um parafuso entre as tampas;

Pratilhos de choque, pequenos pratos feitos de tampas metálicas ou plásticas com pega de rolha de champanhe presa à tampa por parafuso;

Tamboretes de guitas, com tampas, fio, contas e cabo cilíndrico constituído por um tubo de plástico fino e comprido; as contas chocam com o rolar do cabo entre as mãos em sentidos alternados;

Marteletes, instrumento de percussão constituído por cana perfurada e arame ou pauzinho de espetada de 5 cm de comprimento com conta (ou tampas) nas pontas;

Caricatos, pequenos chincalhos de caricas;

Maracás, ou maraca de cabo, que consiste num recipiente oval ou cilíndrico com sementes dentro, sacudido para a frente em cima e em baixo;

Pegatampas, chincalho de pegas de frasco de detergente cortada, com tampas presas por fio depois de feitos furos com quirógrafo;

Pausões, pau de varão cilíndrico, grosso, percutido por pau fino;

Pulseiras sonoras de dança feitas de contas unidas por um fio, com tampinhas penduradas;

Tiquetocas, idiofone de percussão indireta formado por tubo de plástico perfurado ou uma cana, atravessados por pauzinho com tampas;

Maratampas, maracas de garrafinhas de plástico transparentes com meias tampas de plástico cortadas ao meio e as metades cortadas em três com tesoura de poda.

Rolhitampas, par (rolhas de champanhe iguais com tampa metálica do tipo COMPAL colada ou aparafusada) – tipo mini-pratos de choque;

Frascos de relaxamento, com água, cola glitter e purpurina;

Tinguechás, duas latas ligadas por um fio;

Argoletas, com tampinhas de plástico ou de metal presas por fios;

Redelhas de relaxamento, com feijões, grãos ou conchas;

chincalho em Y, com arame vazando tampas metálicas;

Maraquitas, pequenas maracas reutilizadas multiforma;

Genebres, idiofone de raspagem feito de pequenos paus ligados por fio;

Chavefone, ou chavelhaconjunto de chaves velhas entrelaçadas;

Clavalindas, pares de paus pintados da mesma cor;

Crapesefas, clavas de formatos invulgares;

Chincalhetes, com cana ou pau, parafuso e tampinhas furadas a entrechocar;

Trancanholetas, duas placas retangulares compridas que batem uma na outra;

Ratatacas, tipo de chincalho;

Tamborlata, latas com membrana de couro;

Unhitampas (tampinhas sonoras pressionadas pela unha);

Sinetas, de candeeiro;

Agogô de tampas de dois ou três tamanhos diferentes;

Triângulos de verguinha e outros ferros, segurado por conta e fio de pesca;

Flautas de uma e duas notas, de cana de bambu e de frascos;

Pilões, com tampas grandes de amaciador e pauzinho;

Crótalos de carica;

Cordovinhos, caixas de vinho com cordas;

Pautampas, com pau ou cana com duas tampas metálicas vazados por fio, para agitar.

Baterinhos, pequeninos instrumentos de percussão inspirados na bateria, com base de madeira, blocos de madeira, tampas de metal e borracha entre as almofadas e a base;

Córdios, caixas de vinho com cordas;

Ripofones, xilofones de ripa;

Clavas de encaixe, com cana e vareta.

Instrumentos reutilizados de percussão indireta

Instrumentos reutilizados de percussão indireta

Pulseira sonora

Pulseira sonora

Objetos a recolher

  • frascos de plástico, de leite achocolatado Pingo Doce, UCAL, e de fruta COMPAL essencial;
  • cabos de vassoura gasta e paulitos;
  • garrafinhas de Água das pedras com limão ou outra, com legendas fáceis de tirar;
  • latas de leite Nestlé NAN, com tampa, ou outras latas de leite em pó para lactentes;
  • paus e placas de madeira;
  • argolas de madeira ou plástico;
  • chaves velhas ou inúteis;
  • rolhas de champanhe;
  • cascas de pistáchio;
  • sementes de couve, melão, anona e outras;
  • candeeiros em forma de sino;
  • saquetas e peúgas de criança;
  • sacos de rede fina;
  • botões;
  • contas e missangas;
  • tubos de plástico ou metal;
  • pequenos blocos de madeira;
  • canetas gastas;
  • tampas de Compal ou do género;
  • frasquinhos práticos de iogurte ou néctar;
  • caixas de vinho, de madeira;
  • fios finos tipo pesca;
  • latas de sardinha e outras;
  • rolhas de champanhe;
  • tampas de amaciador da roupa.
Ferramentas a utilizar

Quirógrafo, serrote, chave de fendas

O pirógrafo facilita a tarefa de criar objetos sonoros de plástico reutilizado fazendo orifícios facilmente.

António José Ferreira

Partilhe
Share on facebook
Facebook
Jogo de Memória
Tampas metálicas com memória

Como professor de Música nas AEC, juntei em 2014 tampas metálicas de frascos de sumo, de doce, de feijão, de polpa de tomate e criei dezenas de jogos de memória musical e pedagógica.

No âmbito do ProjetArte, em Gaia, continuo a usá-las como recurso que pode ajudar as crianças do 1º Ciclo a aprenderem muitas coisas e a exercitarem a sua memória, a sós, em pares e em grupo.

Em 2023, pedi numa pastelaria em Avintes (Boca Doce) que guardem tampas metálicas. Passo com regularidade por forma a revelar interesse e ir fazendo os jogos. O professor pode ainda motivar aos alunos para fazerem o trabalho de recolha em casa – num projeto fácil de concretizar que promove interatividade entre escola e família.

Lavo e seco bem as tampas. Junto 16 tampas iguais, coloco-as sobre a mesa e escrevo no interior da tampa com caneta do tipo Staedtler fina.

Pode-se imprimir os jogos já feitos, disponíveis ao fundo do artigo, a preto ou a cores, recortar por fora do círculo e colar do lado de dentro da tampa com uma gota de cola.

Para jogar, baralham-nas e dispõem-nas em forma de quadrado (4×4). vira-as aos pares, recorta devidamente as imagens e cola-as no interior das tampas, de modo a formarem pares no jogo. Cada criança joga na sua vez; se encontrar um par, guarda as peças até terminar a jogada. Se não acertou, coloca as tampas na posição em que estavam e o jogo continua com o outro colega. No início, o professor decidirá se a criança que encontra um par continua a jogar, ou se a vez passa a outro.

Os jogos incluem:

  • provérbios curtos
  • trava-línguas curtos
  • tabuadas
  • rimas com nomes de pessoas, cidades, países, rios
  • instrumentos musicais
  • onomatopeias
  • associações
  • tradições
  • natureza

As tampas podem também ser usadas para fazer o jogo da velha, jogos de carica e de encestar. Com pauzinhos de sushi ou de comida chinesa podem ser criados outros jogos em que os jogadores procuram ser os mais rápidos a colocar no seu prato as tampas voltadas (o fundo deve estar voltado para cima).

É conveniente guardar e organizar cada conjunto num saquinho plástico, por exemplo.

António José Ferreira

27 setembro 2014, revisão a 30 de maio de 2023

Jogo dos pauzinhos

Jogo dos pauzinhos

Jogo do Galo

Jogo do Galo

Jogo de Memória

Jogo de Memória

Partilhe
Share on facebook
Facebook
Tangará-dançarino, ABC de animais com ritmo
Animais com ritmo

As palavras têm ritmo. E quando música e poesia jogam uma com a outra, chegam a criar ritmos e sonoridades que dispensam notação.

Em “ABC de animais com ritmo”, os jogos de palavras destacam a importância da biodiversidade e o respeito pela natureza. São um serviço à Língua e suscitam o gosto pela rima, encaixando na aprendizagem das letras e em casos de leitura. Funcionam como sílabas rítmicas bem-humoradas e prestam-se a acompanhamentos rítmicos criativos.

Situam-se algures entre provérbios, trava-línguas, lengalengas e sílabas rítmicas de Kodály. Boa parte deles promovem jogos de palmas em pares, copos, imitação, sorteamento, cadeiras, estátua, caçadinha e outros.

São especialmente indicados para o 1º Ciclo do Ensino Básico e refletem uma parte da filosofia pedagógica Meloteca no contexto da Expressão Musical.

(António José Ferreira)

A

Albatroz, albatroz,
voa como os seus avós.

Alcatraz ou gaivotão,
comes peixe, sim ou não?

Avestruz, avestruz,
corre, corre, avestruz.

(para imitar)

B

Bacalhau, bijupirá,
bate-bico, biguá.
Quem estuda, aprende,
quem trabalha, saberá.

(para jogar)

ABC de animais com ritmo, créditos José Luiz Santos

ABC de animais com ritmo, créditos José Luiz Santos

Baiacu, baiacu,
baia, baia, baiacu.

Baiacu, sapo-do-mar,
peixe-balão, ou fugu!

Beija-flor, beija a flor,
beija, beija, beija a flor.

Bem-te-vi, eu vi,
quando andavas por aí.

C

Cachalote e camarão
é do mar que eles são.

Cachalote, olha o filhote,
e não vires o meu bote!

Cágado e camaleão
algum dia saberão
de que terra são?

Canguru, canguru,
salto eu, depois és tu!

(para jogar com saltos)

Caracol, caracol,
tem cuidado com o sol.

(para jogar com concha)

Cascavel, cascavel,
casca, casca, cascavel.

Cascavel traz sempre um guizo
para usar se for preciso.

(para jogar com guizeira)

Chimpanzé-comum,
como tu não há nenhum.

(para jogar à imitação)

É inseto o cupim,
com as asas faz assim.

(para jogar à imitação)

D

O damão e o dodô
fazem como fez o avô.

Dançador-laranja,
quem te alaranjou?
– Foi um grande artista
que aqui passou.

(para jogar às cores)

Dançador-laranja, ABC de animais com ritmo, créditos Rudimar Narciso Cipriani

Dançador-laranja,
créditos Rudimar Narciso Cipriani

Dançarino, dançador,
canta e dança com amor.

(para jogar à estátua)

Dançarino, abre a asa,
leva a fêmea para casa.

Degolado ou degu,
diz qual deles és tu.

Dorme Dário, o dromedário.
Dorme, dorme, dorme Dário.

E

Estorninho e esturjão,
um é peixe, o outro não.

Esturjão e estorninho,
diz qual é o passarinho.

F

Faisão, falcão, furão, quem são?

Fandangueiro, fandangueiro,
a dançar és o primeiro.

(para dançar com cadeiras)

G

Galo,
gamo,
ganso,
gato.

Ganso-patola, gaivotão-real,
alcatraz-comum, existe em Portugal.

Grilo,
grifo,
grou,
gnu.

Guaxinim, guará,
gavião, gambá.

Guaxinim, gambá,
Gavião, guará.

ABC de animais com ritmo, créditos Alex Popovkin

Gambá, créditos Alex Popovkin

H

Dlim, dlão, dlim, dlão,
Hiena
ri, hadoque não.

I

Itapema, iratim, iguanara, inhambu.
Treina a memória, diz agora tu!

J

Jabuti, jabiru,
jacaré, jacu.

Jararaca, javali,
joaninha, jabuti.

K

Kudu, kiwi,
kookaburra, kowari.
Passa um copo, passa outro
e já outro chega aqui.

(para jogos de copos)

L

Lagosta, lombriga,
qual é tua amiga?

É lagosta ou lombriga,
o que tu tens na barriga?

Lampreia e lacraia
não andam na praia.

Lagosta ou lampreia,
que venham à ceia.

M

Macaco, medusa,
morcego, merluza.

Mangangá, manatim,
Quem é mosca faz assim…

(para imitação)

Marta, marta,
vive farta.

N

Nandaia, nambu,
quem canta és tu!

(para sortear)

ABC de animais com ritmo, créditos Alex Popovkin

Nandaia, créditos Alex Popovkin

Narceja, narval.
Quem anda tão mal?

Nhacundá, niquim.
A narceja canta assim.

(para imitação)

Noitibó, noitibó,
canta para a minha avó!

Noitibó, nambu,
canta agora tu!

(para sortear)

O

Ocapi, ocapi,
oca oca ocapi.

Onça, orca, osga, ostra.

A otária, nada otária,
a nadar é extraordinária.

P

Perereca, peru,
pica-pau, pica tu!

(para sortear)

Polvo, pombo, porco, pulga!

Q

Quem-te-vestiu, quatimirim?
Quem-te-vestiu, assim?

ABC de animais com ritmo, quem-te-vestiu, créditos Fernando Jacobs

Quem-te-vestiu, créditos Fernando Jacobs

Quiriquiri, quero-quero, quatipuru, quetzal.
Quiriquiri não canta, quatipuru canta mal.

R

– Rana, rana cataplana,
cataplana, plana, plana.
– Vou atrás de quem?
– Vai atrás da ratazana!

(para caçar)

Rena, rato, raia,! Rena, rato, raia, rã!
Rena, rato, rena, rato, rena, rato raia, rã.

rouxinol, rouxinol,
canta na clave de sol.

S

Sabiá, sabiá,
voa aqui, voa acolá.
Sabiá, voa aqui,
sabiá voa acolá!

Sabiá, sagui,
seriema, siri.
Sabiá, sabiá,
sabiá, sagui.

Salamandra, salmão,
sanguessuga, sardão.
Salamandra, sanguessuga,
salmão, sardão.

Suricata, surubi,
sanguessuga, sagui.
Sanguessuga, sanguessuga,
sanguessuga, surubi.

Surucucu, sagui, salamandra, siri.
Salamandra, sagui, surucucu siri.

T

Dançando, tangará, dançando,
dançando, tangará, dançou.
Dançando, tangará, dançando,
dançando também eu lá vou.

(para dançar cadeiras)

Tangará, tangará
que bem danças, dança cá.

(para agrupar)

Tangará, o dançarino,
aprendeu em pequenino.

Téu-téu, sobe ao céu,
vê se avistas o chapéu!

(para jogar)

Tico-tico, tatuí,
tartaruga, tucuxi.
Se tu tocas, se tu danças,
vem apresentar-te aqui!

(para agrupar)

Tico-tico, tubarão,
tartaruga, tritão.

Tico-tico, tororó,
és igual à tua avó!

(para imitar)

Tangará-dançarino

Tangará-dançarino

U

Uacari, urubu,
unha-longa, urutu.

Uacari, urubu,
unha-longa és mesmo tu.

(para sortear)

V

É verdinho ou verdelhão,
é peixinho ou não?

W

Wombat, wombat,
wom wom wom wom wom wombat.

Wombat, ABC de animais com ritmo

Wombat

X

Ximburé, xajá,
vem viver p’ra cá!

Ximburé, xangó,
fazem como a avó.

Ximburé, xexéu,
traz o meu chapéu.

(para jogar)

Ximburé, xuri,
vem brincar aqui!

(para agrupar)

Y

Ynambu, nambu,
voa ele e não tu.

Ynambu, ABC de animais com ritmo

Ynambu

Z

Zabelê, zaragateiro,
Só um deles quer dinheiro.

Zebra, zarro e zebu,
diz qual deles és tu?

(para imitar)

Zombeteiro ou zorrilho,
só um deles é teu filho!

Zorrilho, ABC de animais com ritmo

Zorrilho

António José Ferreira

www.lojameloteca.com

Partilhe
Share on facebook
Facebook

OS 99 SONS DO MEU CORPO

A percussão corporal é importante enquanto descoberta do corpo humano no seu esquema corporal, como instrumento musical a acompanhar canções e danças e na educação precoce para a criatividade. Desafia os alunos para a descoberta musical do seu corpo e prepara-os para trabalhar em equipa. Promove o desenvolvimento global da criança (psicomotor, cognitivo e relacional), tenha ou não tenha necessidades educativas especiais.

O pulsar do coração, o andar e a dança da mãe antes de a criança nascer ou transportada pela mãe são das primeiras experiências rítmicas. E é provável que ainda antes da utilização de qualquer instrumento musical, por mais rudimentar que fosse, já a humanidade usasse sons corporais e vocais enquanto música e forma de comunicação.

Há diversas tradições do mundo que incorporam percussão corporal como o saman indonésio, a música de axila etíope, o sapateado americano e as palmas no flamenco.

“Descobre o instrumento que há em ti” é um desafio que os professores podem lançar às crianças. Mesmo quando dão sugestões musicalmente pouco eficazes, exprimiram o seu pensamento, criatividade e corpo; outras vezes, surpreendem com timbres e formas de percussão que permitem fazer interessantes ritmos e coreografias.

Associados a elementos das literaturas de tradição oral, os jogos de mãos em pares ou grupo têm vantagens extra em todos os sentidos. Palmas com palmas do par, costas da mão com costas da mão, punhos com punhos, palmas unidas deslizando nas palmas unidas do par, costas da mão esquerda unidas e palma direita a bater em cima ou em baixo na palma do par, há muitas possibilidades rítmicas que desenvolvem a musicalidade da criança, melhoram a autoestima e aumentam o gosto de estar na escola.

Percussão em pares, mão direita na direita do par

Percussão em pares, mão direita na direita

Percussão em pares, mão direita com mão direita e pé direito com pé direito do par

Percussão em pares, mão direita com mão direita e pé direito com pé direito do par

Descobre o reco-reco que há em ti

Raspa com

  • a mão nas costas da mão contrária;
  • falanges de uma mão nas falanginhas da outra mão;
  • falanginhas de uma mão nas falanginhas da outra mão;
  • a mão relaxada no espaço entre as costas da outra mão e o pulso;
  • as mãos na roupa por cima da barriga, no mesmo sentido ou em sentidos opostos;
  • a mão no braço contrário;
  • a mão relaxada na palma da outra mão, estando as ambas orientadas para cima ou para a frente, ou com as palmas encaixadas em x;
  • a mão direita em forma de serrote, na palma ou nas costas da esquerda (ou vice-versa);
  • as mãos nas coxas para a frente e trás, no mesmo sentido ou em sentido contrário, em cima ou de lado, sentado.
Descobre o tambor que há em ti

Podes bater em diversas partes do corpo, com intensidades baixa, média e alta, conforme o caso e o contexto.

Mãos

Bate com

  • mão em concha com mão em concha (em forma de x);
  • mãos em forma orante, orientadas para cima ou para a frente;
  • palma nas costas dos dedos da mão contrária;
  • mão direita batendo e deslizando na palma contrária desde os dedos até ao pulso, e fazendo o mesmo com as costas da mão em direção oposta;
  • 1, 2, 3, 4 e 5 dedos na beira da mesa, em simultâneo, separadamente e de forma alternada;
  • um ou dois punhos na mesa, ou em alternância;
  • um punho na beira da mesa e a mão oposta a bater por cima do punho;
  • mãos na bunda, em simultâneo, com uma mão ou em alternância;
  • mãos fechadas, com as falanginhas no peito, na barriga, nas coxa (por cima ou de lado);
  • mãos abertas no peito, na barriga, nas coxas, por cima ou de lado;
  • sentados, com mãos alternando com polegares junto aos joelhos;
  • mão no braço e antebraço contrário;
  • palma com palma, com dos dedos abertos;
  • palma encaixando na outra em x;
  • palma batendo no punho da mão oposta;
  • mãos abertas próximas do peito, batendo a direita nas costas da esquerda, e esta no peito (ou vice-versa).

Cotovelos

Bate com

  • cotovelos alternados ou em simultâneo na beira da mesa.

Dedos

Bate

  • dedilhando como ao piano, alternando polegar e médio e as outras combinações possíveis;
  • polegar da mão direita na palma esquerda e restantes dedos da direita nas costas da esquerda (ou vice-versa);
  • dedos na cara entre os dentes com a boca aberta;
  • dedos da direita na palma esquerda, ou vice-versa;
  • 1, 2, 3 ou 4 dedos da mão direita na palma esquerda, ou vice-versa;
  • polegares e restantes dedos na beira da mesa, em simultâneo ou de forma alternada;
  • polegares alternando com restantes dedos da mão na beira da mesa.

Estalidos

Bate com

  • estalo de língua produzindo curtas melodias.

Falanges

Bate com

  • falanginhas na meia da mesa.

Pés

Bate com

  • pés no chão, caminhando;
  • pés no chão, sentado, com pontas e calcanhares simultâneas ou alternadas.

Punhos

Bate com

  • o punho na mão oposta (relaxada em forma de concha).

Saltos

Bate em

  • saltos percussivos, com os pés no chão no tempo 1 de um compasso de 4 tempos (1, 2, 3, 4), ou de forma aleatória.
Descobre o aerofone que há em ti

Controla a saída e entrada de ar:

  • assobiando, pressionando o ar para sair através de lábios em bico;
  • inspirando pela boca e expirando, criando pequenas melodias;
  • inspirando e expirando pela boca, como se estivesse ofegante, produzindo sons de altura determinada e pequenas melodias;
  • fazendo o ar sair pela boca a produzir o som “ss”, dando diferentes notas (ou mesmo a escala);
  • produzindo o som (ch) e criando curtas melodias.
  • produzindo o som th a criar pequenas melodias.

No Brasil, Barbatuques é um excelente exemplo de percussão corporal, enquanto espetáculo e pedagogia.

Vídeos
Quadras

Mão na cabeça,
outra no peito,
faz lá um ritmo
mesmo ao teu jeito.

Bate no peito
e na barriga
e acompanha
uma cantiga.

António José Ferreira

Percussão corporal, créditos Meloteca

Percussão corporal, costas da mão na palma oposta, créditos Meloteca

Percussão corporal, créditos Meloteca

Percussão corporal, dedos entrelaçados, créditos Meloteca

Percussão corporal, créditos Meloteca

Percussão corporal, direita no peito, créditos Meloteca

Percussão corporal, créditos Meloteca

Percussão corporal, mão no pulso oposto, créditos Meloteca

Percussão corporal, créditos Meloteca

Percussão corporal, mãos nas costas da outra, créditos Meloteca

Percussão corporal, créditos Meloteca

Percussão corporal, palma no punho, créditos Meloteca

Percussão corporal, créditos Meloteca

Percussão corporal, punho na palma, créditos Meloteca

Partilhe
Share on facebook
Facebook
Casulo Instrumentos

Instrumentos tradicionais adaptados às crianças

Com sede em Oeiras, Casulo Instrumentos é um projeto criado por Silvana Dias  em 2019. Com adoráveis decorações e combinações de cores, adapta instrumentos tradicionais ao desenvolvimento da coordenação motora das crianças facilitando o acesso a instrumentos que, em alguns casos, são pouco conhecidos.

Adufe infantil Casulo Instrumentos

adufe infantil Casulo Instrumentos

Castanholas de cabo Casulo Instrumentos

castanholas de cabo Casulo Instrumentos

Guizeiras Casulo Instrumentos

Guizeiras Casulo Instrumentos

Monst'Reco Casulo Instrumentos

Monst’Reco Casulo Instrumentos

Sarronca Casulo Instrumentos

sarronca Casulo Instrumentos

Tambor Casulo Instrumentos

Tambor Casulo Instrumentos

Tracalote Casulo Instrumentos

Tracalote Casulo Instrumentos

Tréculas Casulo Instrumentos

tréculas Casulo Instrumentos

Zaclitrac Casulo Instrumentos

Zaclitrac Casulo Instrumentos

Para fomentar o movimento em contexto de espetáculo na infância, Casulo Instrumentos tem fitas.

Fitas Casulo Instrumentos

Fitas Casulo Instrumentos

Partilhe
Share on facebook
Facebook
Jogo do comboio da gentileza
Jogos musicais

DINÂMICAS PARA O SUCESSO ESCOLAR

Jogos com música para o desenvolvimento global da criança em Atividades Lúdico-Educativas

Esquema de possível formação para professores, educadores e animadores em que cada atividade é constituída por:

  • Quadra
  • Padrão
  • Jogo
  • Canção

Todos os jogos têm variantes conforme sejam realizados ao ar livre ou em sala, e são escolhidos tendo em conta o perfil da turma. Foram criados para celebrações diversas ao longo do ano e alguns deles são brincadeiras escolares tradicionais recolhidos em escolas do concelho de Vila Nova de Gaia.

Muitos jogos têm associados objetos não especificamente musicais como bolas, tampas, baldes, cestos, paulitos, cordas, peluches que aumentam o interesse das crianças.

Devem ser selecionados de maneira a promoverem a autoestima de todos. Se há jogos em que algumas crianças têm muita dificuldade, há que promover a superação dos seus limites mas, ao mesmo tempo, propor jogos em que eles se destacam. Em vez de excluírem, em boa parte dos jogos atribui-se vidas que os alunos podem ir perdendo mas continuando em jogo para não penalizar quem já tem dificuldades. E se uma criança perde todas as vidas (7, 5, ou 3…) há a hipótese de um grande amigo lhe dar uma.

Destes jogos, uns são jogados à mesa, com tabuleiro, papel ou outros materiais; outros podem ser feitos na sala na sua disposição normal; outros devem ser feitos no exterior.

As quadras podem ser recitadas expressivamente, ou ditas como quem canta, ou cantadas com melodias simples, conhecidas ou originais, e acompanhadas ou por instrumentos reciclados ou por percussão corporal prática e eficaz.

No âmbito da Meloteca já foi dada formação a mais de 1560 professores e educadores de Norte a Sul. Contacte-nos para formações e conheça o sítio Loja Meloteca, onde pode adquirir numerosos recursos a preços simbólicos. Outra plataforma fundamental para o conhecimento da Música em cada concelho é o Musorbis.

Nos últimos anos António José Ferreira tem colaborado com a Porto em projetos publicados e a publicar em Portugal e Angola, o que tem contribuído para melhorar os recursos de forma sustentada.

Em sala

Quadra de passe picado

Em passe picado
eu passo a bola
e mostro saberes
que aprendo na escola.

Dinâmica para dizer rios, cidades, serras, nomes próprios, cantores, instrumentos musicais, animais, plantas, flores.

Quadra de passagem de palma

Passa a palma,
passa já.
Vai daqui
para acolá.

Dinâmica de palma em roda com apresentação

Quadra da fanfarra

Vai pela rua a fanfarra
a tocar na procissão.
As cornetas e os bombos
chamam logo a atenção.

Dinâmica para percussão em marcha
[ instrumentos de percussão reutilizados ]

Quadra de berlinde em arena

Há um jogo de berlinde
que se faz também com bola.
Numa arena reciclada
rola bem, berlinde, rola.

Dinâmica com berlinde ou bola de desodorizante em tampa circular

Quadra de pião

Gira o pião,
o pião que dança.
Quem for campeão
vai jogar em França.

Dinâmica com tampas de amaciador a fazer de piões
[ tampas de amaciador para todo o grupo ]

Quadra de rolhas

[ rolhas ]

O rato roeu,
roeu a rolha,
a rolha da Rita,
da Rita Ribeiro.

Dinâmica de passar rolha em roda sem perder a pulsação, agarrando e passando na sílaba tónica dos dissílabos.
[ rolhas de cortiça ]

Quadra de castanha

Assa uma, assa duas,
mais castanhas tens de assar.
Dá-me uma, dá-me duas,
dá-me outras p’ra levar.

Dinâmica de passagem de castanha em roda

Quadra de letra e função

Cada letra do alfabeto
traz com ela uma função.
Saberá o que fazer
quem está com atenção.

G (gorila)

Dinâmica com ações e sons de animais associados

Quadra de nomes

A cabrinha já saltou
para cima do rochedo.
A mãezinha a ensinou
a ultrapassar o medo.

Dinâmica para saltar a tempo com o feminino, masculino e nome coletivo (cabra, cabrito, cabrada)

Quadra de agrupamento

Convidei os meus amigos
que já tocam bandolim
p’ra tocarmos em concerto
no coreto do jardim.

Dinâmica em que as crianças se agrupam (ou não) conforme o professor disser solo, duo, trio, quarteto, quinteto, sexteto…

Quadra de notas

Dó ré mi fá sol lá si,
São as notas a cantar.
Se são graves ou agudas
Ouve bem para saltar.

Dinâmica de passos ou saltos de acordo com notas da escala
[ linhas de orientação no chão ]

Quadra de tampa percussiva

Uma tampa destampou,
outra há-de destampar
para percutir na mesa
e no corpo do seu par.

Dinâmica à mesa com duas tampas criativas para cada participante
[ tampas de amaciador ]

Quadra do feijão

Do meu feijoeiro grande
eu colhi este feijão.
‘Stá na esquerda ou na direita?
Adivinha qual a mão!

Dinâmica de adivinhação da mão
[ 1 para cada par ]

Quadra de colher

Quero que a bola
não caia da colher,
mas saberei ganhar
e saberei perder.

Dinâmica de transporte de uma bola em colher reciclada de um ponto de partida até até meta.
[ colher de madeira e bola de desodorizante reutilizadas ]

Quadra de maraca

Fiz em casa esta maraca
E a quem é que a vou dar?
A alguém que esteja pronto
e que goste de tocar.

Dinâmica de passagem de maraca de mão em mão, em roda, e execução
[ maraca ]

Quadra de pares

Bato punho com o punho
e a mão com outra mão.
Com o par eu me divirto
a fazermos percussão.

Dinâmica de palmas em pares com quatro gestos percussivos diferentes

Quadra de micro

Passa o micro, ó colega,
mas não deixes de pensar
qual a canção que apresentas
quando o micro te calhar.

Dinâmica de passagem de microfone de brincar em roda em que aqueles a quem calhar cantam um refrão
[ objeto com formato de micro ]

Quadra de cadeiras

Já dancei em muitas vilas,
Em cidades vou dançar.
Esta dança das cadeiras
É o que agora está dar!

Dinâmica de cadeiras em que o último a sentar-se na cadeira perde uma de cinco vidas
[ cadeiras ]

Quadra de cesto

Pega o cesto cheio de ovos
e vai lá vender na feira.
Tem cuidado pelo caminho
para não fazeres asneira.

Dinâmica de equilíbrio para transporte de tampa circular à cabeça
[ tampa ]

Quadra de batata

A batata foi ao forno,
a batata se queimou.
Ficou triste o cozinheiro
que já nada aproveitou.

Dinâmica para passar uma batata “quente” ao colega na roda.
[ batata ]

Quadra de congelamento

O uso polar caçava,
o urso polar caçou,
mas o frio era tanto
que o urso congelou!

Dinâmica de estátua quando um voluntário competente percute uma padrão previamente combinado
[ tambor ]

Quadra de comboio

Vem comigo no comboio
que se chama Cortesia.
Quando chego de manhã
digo sempre: “Olá! Bom dia!”

Dinâmica para destacar a cortesia em forma de comboio com as mãos nos ombros do colega da frente

Quadra de disco

Quem quiser ser desportista,
para ser um campeão,
tem de fazer exercício
no inverno e no verão.

Dinâmica para lançamento de disco desde uma linha de lançamento
[ uma tampa de balde de azeitonas ou tremoços para cada jogador ]

Quadra de bola

Bate a bola, bate forte,
sem perder a pulsação.
Tem cuidado com a bola
para não rolar no chão.

Dinâmica para bater a bola no chão passando ao colega.
[ bola ]

Quadra do planeta

Tem cuidado com a terra,
tem cuidado com o mar.
Não estragues o planeta
e aprende a reciclar.

Dinâmica com passagem de bola para sensibilização ambiental
[ bola maleável ]

Quadra de balão

Dá um toque muito leve,
dá um toque no balão.
Joga com a tua equipa
para não cair ao chão.

Dinâmica para manter o balão no ar, em equipa, em silêncio e com pés colados ao chão
[ balões ]

Quadra de concha

Vai andando o caracol
no seu passo muito lento
e entre as plantas do jardim
ele encontra o alimento.

Dinâmica para caminhar com tampa nas costas sem a deixar cair
[ tampas ]

Quadra de bola rolante

Roda a bola, roda, rola,
Põe a bola a rolar.
No recreio da escola
É que eu gosto de jogar.

Dinâmica para passar a bola a rolar a um colega dizendo o animal que começa pela primeira letra do seu nome
[ bola ]

Quadra de caranguejo

Na areia da praia marcho,
na água do mar eu nado.
Adivinha quem eu sou,
sabendo que ando de lado.

Dinâmica para andar de lado de uma linha de partida a uma linha de chegada

Quadra de centopeia

Centopeia, centopeia,
Tem cem pés, tem cem patinhas.
Entra nesta centopeia,
Mexe os pés, usa as mãozinhas.

Dinâmica para caminhar com as mãos nos ombros do colega e comer (tocar) vermes e caracóis.

Quadra do Sílabo

O dissílabo convida
Os amigos para dançar:
Saberás pelo teu nome
se o convite é para aceitar.

Dinâmica para identificar o seu nome como monossílabo, dissílabo, trissílabo ou polissílabo

Quadra de carta

Vou mandar uma mensagem
a um amigo especial.
Ele alegra-me e apoia
quando eu me sinto mal.

Dinâmica para mandar mensagem a um amigo.
[ envelope ]

Quadra de memória

É um jogo de memória,
vamos lá emparelhar!
Quando vês um instrumento
tenta descobrir o par!

Dinâmica de memória para emparelhar objetos com identidade voltada para baixo
[ jogo de memória para 4 grupos ]

Quadra de cores

Tem o céu muitas estrelas,
outras tantas tem o mar.
São espécies coloridas
que ultrapassam o milhar.

Dinâmica para encontrar a cor referida na sua roupa ou na proximidade

Quadra de caneta

Passa, passa a caneta
E aproveita p’ra pensar.
Vais dizer a tua rima
Quando a música parar.

Dinâmica para dizer rima com base no seu nome, ou de outra forma.
[ caneta gasta ]

Quadra de dragão

Sou dragão, sou poderoso,
tenho cauda de serpente.
Os meus olhos são de tigre
E assusto toda a gente.

Dinâmica para por o dragão a crescer quando a cabeça toca num colega que passa a ser a cabeça, e assim sucessivamente

Quadra da Europa

Nós temos bonitas danças,
a rusga e o corridinho,
o vira e a cana-verde,
a chula e o bailinho.

Dinâmica para identificar países num mapa imaginário ao ar livre

Quadra de limbo

Quem passou, passou,
se não passou, passasse.
Quem treinou, treinou;
se não treinou, treinasse.

Dinâmica inspirada em dança de Trindade e Tobago em que os jogadores devem passar por baixo de corda
[ corda ]

Quadra do galo

Tenta colocar as peças
numa mesma direção.
Ganhas, perdes ou empatas:
o que vale é a diversão!

Dinâmica para fazer o jogo do galo por equipas (ou em pares)
[ 9 arcos e 5+5 tampas de cor diferente ]

Quadra de Páscoa

Páscoa é tempo de cantar,
de brincar e ser feliz.
Vou oferecer-te um ovo
para ver se tu sorris.

Dinâmica com passagem de ovo em que cada um passa o seu e recebe outro perdendo uma de três vidas se passar mal
[ ovo Kinder ou outro ]

Quadra de funções

Para cada número
há um movimento.
Já que tens ouvido,
fica bem atento!

Dinâmica de audição atenta em que a 4 ou mais números é atribuída uma ação

Quadra de polícia

Neste tempo todos querem
ser aquilo que não são.
Há quem faça de polícia
e quem queira ser ladrão.

Dinâmica para perseguição policial a ladrão durante um tempo determinado para o Carnaval

Quadra do livro

Um bom livro é um amigo
que está sempre ao meu lado.
Aconselha-me e aponta
o que é apropriado.

Dinâmica para passagem de livro e dizer lengalenga ou trava-línguas
[ livro ]

Quadra de titãs

Empurrava o Renato,
Empurrava o João.
Tanto eles empurraram
Que um deles caiu ao chão.

Dinâmica de pares em que cada criança em pares tenta com as mãos fazer que o colega mexa os pés sem mexer os seus

Quadra de carapaça

Vai a tartaruga
muito devagar.
Tem o tempo todo
Para lá chegar.

Dinâmica de andamento lento com carapaça feita de tampa nas costas
[ uma tampa para cada jogador ]

Quadra de saqueta

A saqueta vai na mão.
Ouve se ela cai ou não.
A saqueta está a passar.
Onde é que ela vai parar?

Dinâmica de lencinho com saqueta reciclada
[ saqueta ]

Quadra de condução

Vais de mota ou de automóvel?
Então vai pela direita.
Para no sinal vermelho,
que o perigo está à espreita.

Dinâmica para assimilação de regras de trânsito, lateralidade e atenção ao outro
[ volantes ou guiadores ]

Quadra de túnel

Neste túnel há perigos
que nem estás a imaginar.
Tem cuidado que o teto
até pode desabar.

Dinâmica em que uma criança tem de passar num túnel com crianças com pés fixos ao chão sem levar com o desabamento das mãos

Quadra do cartucho

Já meti uma castanha,
mais castanhas vou meter.
O cartucho vai-se enchendo
de castanhas para comer.

Dinâmica para encestar bola de papel ou “castanha” presa por um fio a um cartuxo reciclado
[ cartucho ]

Quadra de manossolfa

A escala é uma escada
a subir e a descer.
Faço gesto com a mão
para não me esquecer.

Dinâmica para fazer cada gesto de mãos da escala associada à sua nota

Quadra das saquetas

Passa um saco, passa outro,
o terceiro e o quarto,
passa o quinto, passa o sexto.
Acabou! Já estou farto!

Dinâmica de passar saquetas recicladas com conchas, sendo uma delas de cor diferente, o que dá 100 pontos a quem o tiver no momento em que para a canção.

Quadras do Ímpar Par

Qual o número de letras
do teu nome vais mostrar.
Ímpar junta-se com ímpar
e um par com outro par!

Dinâmica para reunir crianças em pares conforme o professor diga Ímpar-Ímpar, ou Par-Par.

Quadras de Manossolfa

A um dó juntou-se um dó
no jogo do emparelhar.
Apareceu então o Ré
Que outro Ré quer ter por par.

Dinâmica em roda em que cada um inicia um novo par um emparelha uma nota com gesto de mãos

Quadra de desafio

O Adão tocava adufe
e um grupo quis formar.
Xavier do xilofone
convidou-o a tocar.

Dinâmica em que cada escolhe um instrumento que começa pela primeira letra do seu nome e desafia um instrumento/colega a fazer música.

Quadra do cocas

Qual o número da sorte?
Qual a letra do azar?
Quero ver o meu destino
e o que me vai calhar.

Ao ar livre

Quadra de encestar

Se és um basquetebolista,
para seres campeão,
tens de bater bem a bola
e lançá-la com a mão.

Dinâmica de encestar bolas ou tampas recicladas, brancas ou coloridas, por equipas, num cesto de papéis.
[ cesto de papéis e bolas de desodorizante, ou tampas de cores ]

Quadra de pontos cardeais

Ora eu visito o Norte,
ora sigo para Oeste.
Ora faço praia a Sul,
ora subo para Leste.

Dinâmica com movimento e deslocação conforme o ponto cardeal mandado
[ tampas verde, azul, amarela e vermelha ]

Quadra de alimentos

É tarefa dos coelhos
arranjarem que comer.
Para quem é a cenoura,
para quem é que vai ser?

Dinâmica com lançamento de tampas por um grupo em direção a uma tampa de cor diferente.
[ tampas, uma delas de cor diferente ]

Quadra de corda

Vamos lá entrar no jogo
que o salto faz-te bem.
Sei que és um bom atleta
se tu saltas até cem!

Dinâmica de salto à corda (grande, presa a um poste)
[ corda grande ]

Quadra de salto

Salto eu e saltas tu,
para vermos quem mais salta.
Salta, corre e caminha:
o exercício faz-te falta.

Dinâmica para saltar na última sílaba tónica de cada verso de uma linha de partida a uma linha de chegada

Quadra de caçada

Se és um animal da selva
Tu precisas de saber
Como deves atacar,
Como podes defender.

Dinâmica de caçadinha criativa com predador, presas e área protegida

Quadra de disco

Voa o disco no recreio
da minha mão para a tua.
Não o lances muito alto,
não vá ele para a Lua.

Dinâmica para lançar disco em pares
[ tampas ]

Quadra de teclas

São 88 as teclas
que um bom piano tem.
Se entre as notas houver saltos,
tu vê lá se saltas bem!

Dinâmica para saltar na proporção de um intervalo entre notas, para a esquerda ou direita (Dó – Dó; Dó -Ré; Ré – Fá)

Quadra de barqueiro

– Quero ir à outra margem
visitar a minha amiga.
– A viagem é barata,
só lhe custa uma cantiga.

Dinâmica de barqueiro adaptada em que só passa quem pedir corretamente e fizer a ação esperada

Quadra de localização

Ora vou à serra,
ora vou à praia.
Ora vou ao Porto,
Ora vou a Gaia.

Dinâmica para localização e acesso rápido a regiões

Quadra de pássaro

Tem coragem passarinho,
tem coragem, melro novo.
Salta agora do teu ninho
que já não estás no ovo.

Dinâmica com passagem amigável de peluche
[ pássaro de peluche ]

Quadra de poldras

No leito do rio há pedras
para chegar ao outro lado.
Salto sem cair ao rio
para não ficar molhado.

Dinâmica para salto de arco em arco individualmente ou por equipas
[ 5 ou 10 arcos ]

À mesa

Quadra da vida

Se soubeste a palavra
Que estava aqui escondida,
És o vencedor do jogo,
E ganhaste uma vida.

Dinâmica em que se deve acertar letras e palavras para não se ser enforcado

Quadra da palavra inesperada

As palavras têm ritmo,
têm vida e sentidos.
Têm música nas letras
e sons muito coloridos.

Dinâmica em que cada um diz uma letra de uma palavra e o colega acrescenta outra
[ folha A5 e lápis ]

Quadra de copo

Olha a taça, agarra e passa
sem perder a pulsação.
Ganha a taça quem trabalha
para ser um campeão.

Dinâmica de passagem de copo ou taça reciclados
[ um copo reciclado de amaciador da roupa para cada jogador ]

Jogo do comboio da gentileza

Jogo do comboio da gentileza

Partilhe
Share on facebook
Facebook
Salto à corda e desenvolvimento global
SALTO À CORDA EM GRANDE

Atividade física, música e desenvolvimento

Nos dois anos em que fui professor de Música nas Atividades de Enriquecimento Curricular na Escola de Cabanões, a Sílvia Faria punha-se nos momentos lúdicos a dar à corda e muitas crianças faziam fila para saltar.

Com uma grande disponibilidade, ela prendia uma corda ao poste de uma baliza e era um regalo ver as crianças a competirem para conseguir o seu máximo pessoal. A solução era simples e barata, mas eu nunca a tinha visto. Houve na escola um miúdo que chegou a saltar 400 vezes, o que me impressionou vivamente. A Sílvia acabou por deixar as AEC para trabalhar no ensino público como docente de educação especial. A seguir veio a pandemia que complicou ainda mais a atividade física das crianças.

Não seria uma pequena revolução em termos de saúde e desenvolvimento global se em todas as escolas, no recreio houvesse alguém a dar a corda para os que livremente quisessem saltar? Há falta de recursos humanos nas escolas, mas nas AEC muito se pode fazer. Há muitas escolas que têm cordas individuais mas esta forma de promover o salto e a atividade física é muito mais aliciante.

Depois da pandemia, encontrei na praia dos pescadores de Espinho várias cordas num amontoado de lixo quando fui com a família ver a recolha das redes com peixe da pesca por arrasto. Reciclei e tenho várias cordas. Com uma delas, faço nos tempos lúdicos o que a Sílvia fazia.

Sucesso é quando uma criança dá 270 saltos seguidos. Mas também quando uma criança com doença rara (que nem um salto dava) já consegue 20 saltos. Quando uma criança obesa se esforça. Quando professoras também querem saltar. Quando crianças em pares ultrapassam 50 saltos. Quando uma criança de 4 anos dá 20 saltos. Ou quando uma criança conta ao professor titular a sua proeza.

Para o salto à corda criei e adaptei várias quadras e pequenas canções como:

Entra no jogo,
faz o que gostas:
mão na barriga,
outra nas costas.

Salta à corda:
só te faz bem!
Torna-te atleta,
chega aos cem!

Enquanto cantam e e contam, as crianças desenvolvem competências em Português, na Matemática e mesmo no Inglês. Desenvolvem-se a nível motor e sócio-afetivo. Aprendem a respeitar e a esperar a vez. Estimulam os colegas com dificuldade.

Há quadras que acompanham os saltos estão relacionadas com animais cuja locomoção inclui saltos. E assim as crianças refletem e assimilam conteúdos de Estudo do Meio, sem disso se aperceberem.

Em casa, as famílias também podem fazer muito pelo desenvolvimento global se promoverem, como outros jogos obviamente, o salto à corda. É um remédio para o sedentarismo que muitas vezes toma conta de adultos e crianças e aproxima pais e filhos.

António José Ferreira

08 de dezembro de 2022

Salto à corda e desenvolvimento global

Salto à corda e desenvolvimento global da criança

Partilhe
Share on facebook
Facebook
Voz, Corpo, Há Som

de Pedro Filipe Cunha

Voz, Corpo, Há Som nasce de uma vontade imensa de um encontro com a música, de dar a conhecer a magia da forte relação entre sons, corpo e poesia na infância. Um projeto que acolhe e acompanha educadores, professores, pais, cuidadores e… as crianças, sobretudo as crianças, no prazer em levar a música à expressão. A alegria de cantar, mover, dançar, interagir, crescer juntos. A interpretação de canções e temas instrumentais nasce com um forte convite à expressão corporal. Tempo para experimentar e descobrir, para despertar o imaginário, a capacidade de criar, gozar, fruir cada momento, como ser único ou em pequeno e grande grupo.

Este livro presta um contributo à voz e ao corpo, enquanto intérpretes ativos da música e da dança. Não de mãos dadas, mas de corpo dado.

Voz, Corpo, Há Som, de Pedro Filipe Cunha

Biografia

Pedro Filipe Cunha é natural do Porto (n.1971). Completou a licenciatura em Produção e Tecnologias da Música na ESMAE-IPP, o mestrado em Estudos da Criança – especialização em Educação Musical na Universidade do Minho e o doutoramento em Ciências da Educação na Universidade do Porto.

Brinca à música com crianças a partir da Educação Pré-escolar. Tem realizado uma intensa carreira nacional como divulgador de uma pedagogia musical ativa, apaixonante e significante.

É também docente do ensino superior, sendo convidado regularmente por diversos centros de formação de professores a orientar ações de formação e partilhar as suas práticas pedagógicas.

Tem composto diversas obras para crianças, a maior parte gravada e editada. Destaca-se “Fá, Lá, Si” (2003), “Música em Grande… Nos Pequenos!” (2006) e “Sim Som” (2014).

Partilhe
Share on facebook
Facebook
Piano para Pequerruchos, manual de piano para crianças, de Maria João Lopes
Piano para Pequerruchos

Português

Em agosto de 2022, o mundo da música testemunhou o nascimento de uma obra dedicada aos jovens aprendizes de piano. Piano para Pequerruchos, uma criação da apaixonada professora, pianista e autora Maria João Lopes, surgiu com uma missão clara: transformar a experiência de aprendizagem do piano em algo memorável, motivador e, acima de tudo, divertido.

Nesta primeira edição, Maria João Lopes encontrou uma parceira valiosa em Ana Elisa Aragão, uma ilustradora talentosa e visionária. O papel da Ana Elisa Aragão, na criação e design do livro, foi inestimável, transformando cada página em uma explosão de cor e criatividade. As ilustrações da Ana Elisa Aragão ajudaram a dar vida às lições, criando um ambiente visualmente atraente e envolvente para os jovens aprendizes.

Em 2023, a 2.ª Edição de Piano para Pequerruchos veio para refrescar e oferecer uma nova visão dos conteúdos, com ilustrações cativantes e, desta vez, desenhadas pela própria autora, a Maria João Lopes, com mais autocolantes para os alunos poderem preencher as respostas ao longo do livro, e também mais partes de acompanhamento para o professor! Os professores desempenham um papel crucial no processo de aprendizagem e crescimento dos alunos, e os acompanhamentos convidam o professor a fazer parte da jornada memorável de Piano para Pequerruchos.

Piano para Pequerruchos é mais do que um livro; é uma missão e uma celebração da música. É o primeiro livro em português dedicado aos primeiros passos na aprendizagem do piano, projetado para tornar cada momento memorável, cheio de boa disposição e motivar os alunos a continuarem a sua jornada musical com muito entusiasmo!

No portal www.pianoparapequerruchos.com existem mais materiais didáticos disponíveis para compra, como as cartas interativas conhecidas por Baralhuchos, e o poster informativo sobre a história do piano para que os professores e alunos possam decorar o seu espaço de estudo.

English

In August 2022, the music world witnessed the birth of a work dedicated to young piano learners. Piano para Pequerruchos, a creation by the passionate teacher, pianist, and author Maria João Lopes, emerged with a clear mission: to transform the piano learning experience into something memorable, motivating, and above all, fun.

In this first edition, Maria João Lopes found a valuable partner in Ana Elisa Aragão, a talented and visionary illustrator. Ana Elisa Aragão’s role in creating and designing the book was invaluable, turning each page into an explosion of color and creativity. Ana Elisa Aragão’s illustrations helped bring the lessons to life, creating a visually appealing and engaging environment for young learners.

In 2023, the 2nd Edition of Piano para Pequerruchos came to refresh and offer a new perspective on the content, with captivating illustrations, this time drawn by the author herself, Maria João Lopes. The new edition also includes more stickers for students to fill in their answers throughout the book, as well as more accompanying parts for the teacher. Teachers play a crucial role in the learning and growth process of students, and these accompaniments invite the teacher to be part of the memorable journey of Piano para Pequerruchos.

Piano para Pequerruchos is more than just a book; it is a mission and a celebration of music. It is the first Portuguese book dedicated to the first steps in piano learning, designed to make every moment memorable, filled with enthusiasm, and motivate students to continue their musical journey with excitement.

On the website www.pianoparapequerruchos.com many more pedagogical items are available for purchase, such as the interactive card games called Baralhuchos and the informative poster on the history of the piano so teachers and students may decorate their practice space.

Piano para Pequerruchos, manual de piano para crianças, de Maria João Lopes

Piano para Pequerruchos, manual de piano para crianças, de Maria João Lopes

Maria João Lopes

Desde muito jovem, a autora se magnetizou à Música e ao ramo da Educação. Aos sete anos emigrou para o Reino Unido com a família, onde iniciou os estudos de piano na cidade de Leeds. Em 2007, de volta a Portugal, continuou os estudos de piano no Conservatório Regional de Castelo Branco. Durante a sua adolescência, foi convidada a participar, como pianista, em projectos artísticos com conceituadas orquestras e ensembles juvenis. Ao mesmo tempo, acompanhou, ao piano, vários músicos virtuosos, e ensinou piano a alunos de todas as idades.

Maria João Lopes, pianista e pedagoga

Maria João Lopes, pianista e pedagoga

Em 2014, a jovem pianista foi aceite e premiada com um bolsa para o Bachelor of Music no Royal Welsh College of Music and Drama. Em 2018, foi certificada com o Diploma of the Associated Boards of Royal Schools of Music em Ensino de Piano. Nesse mesmo ano, regressou a Portugal onde ingressou na Universidade de Évora no Mestrado em Ensino de Música, tendo concluído este em 2021 com a nota máxima na dissertação final.

Durante os estudos no ensino superior, a paixão pela área de investigação em Música intensificou-se, tendo já contribuído para a área, e elaborado diversos materiais e guias didáticos para os seus alunos em todo o Mundo. O seu trabalho alcançou sucesso e vale a pena referir que Maria João Lopes tem publicado um artigo científico na Springer – International Publisher. Tem também participado em diversos seminários e palestras científicas e, tem contribuído com o seu trabalho de investigação, para a divulgação e partilha de conhecimentos na área do Ensino de Música. É também membro da European Piano Teachers Associations.

Leciona piano há quase uma década em várias escolas, conservatórios de música e como freelancer e continua ativamente a desenvolver as suas competências como professora, pianista e investigadora científica.

Maria João Lopes é aluna de Doutoramento em Educação Artística na Universidade de Lisboa.

Partilhe
Share on facebook
Facebook
Lenga, música para o desenvolvimento global da criança, lançado em 2022
TESTEMUNHOS ESPONTÂNEOS

sobre a Lenga e a Meloteca quando incluía os conteúdos de Educação Musical que se tornariam um portal autónomo em 2022

As crianças de Cabo Verde agradecem! Muitos anos de muita dedicação em prol do desenvolvimento global do ser humano. Os meus respeitos e considerações. Mais de uma década te acompanhando. Confesso que aprendi muito. Vida longa!

(Elda Gonçalves, professor e músico de Cabo Verde)

Elda Gonçalves, professor e músico de Cabo Verde

Elda Gonçalves, professor e músico de Cabo Verde

Deixo aqui o meu agradecimento pelo apoio prestado e quero parabenizar-te pelo excelente profissional que és. A canção “Escola Minha Amiga” é LINDA.”

(Natércia Meireles, professora titular do 1º Ciclo, coordenadora da EB1 de Arnelas, 18 de junho de 2022)

Natércia Meireles, professora, coordenadora da EB1 de Arnelas, 2022

Natércia Meireles, professora, coordenadora da EB1 de Arnelas, 2022

Todos os anos trabalho a canção “Escola, minha amiga” com os meus alunos que a adoram.”

(Patrícia Moura, professora, 27 de maio de 2022)

António José Ferreira é o criador das plataformas Meloteca, Musorbis, Loja Meloteca, Musis e Lenga. É formador, autor e professor de música na infância.

António José Ferreira, criador e gestor dos portais Meloteca, Musorbis, Loja Meloteca, Musis e Lenga

António José Ferreira, criador e gestor dos portais Meloteca, Musorbis, Loja Meloteca, Musis e Lenga

Partilhe
Share on facebook
Facebook