Lengalengas

Sino da igreja da Misericórdia da Batalha

Lengalengas tradicionais com pequenas alterações em alguns casos

Alabum chicabum

Alabum chicabum,
alabum chicabum.
Alabum chicauaca,
chicauaca, chicabum.
Hã, hum…
Ó ié!
Mais uma vez!

Aqui está a casa

Aqui está a casa
que fez o João.
Aqui está o saco do grão e feijão
que estava na casa
que fez o João.
Aqui está o rato
que furou o saco de grão e feijão
que estava na casa
que fez o João.
Aqui está o gato
que comeu o rato
que furou o saco de grão e feijão
que estava na casa
que fez o João.
Aqui está o cão
que mordeu o gato
que comeu o rato
que furou o saco de grão e feijão
que estava na casa
que fez o João.

Aqui está a chave de Roma

Aqui está a chave de Roma:
em Roma está uma rua;
na rua está uma casa;
na casa está uma mesa;
em cima da mesa está uma gaiola;
dentro da gaiola, está um ninho;
dentro do ninho está um passarinho.

Copo, copo, jericopo

Copo, copo, jericopo,
jericopo, copo cá;
Quem não disser três vezes
copo, copo, jericopo,
jericopo, copo cá,
por este copo não beberá.

Dedo mindinho

Dedo mindinho,
seu vizinho,
maior de todos,
fura-bolos,
cata-piolhos.

Dedo mindinho quer pão

Dedo mindinho quer pão,
o vizinho diz que não.
O pai diz que dará;
este o furtará
e o polegar: «Alto lá!»

Deixei meu sapatinho

Deixei meu sapatinho
na janela do quintal.
O Pai Natal deixou
um presente de Natal.
Querido Pai Natal,
não se esqueça de ninguém.
Seja rico ou pobre,
o velhinho sempre vem!

Em Viseu

Em Viseu
está uma casa,
dentro da casa
está uma mesa,
em cima da mesa
está uma gaiola,
dentro da gaiola
está um passarinho,
debaixo do passarinho
está um ninho,
dentro do ninho
está um ovinho,
dentro do ovinho
está um passarinho!

Era uma vez um bispo

Era uma vez um bispo:
não sei mais do que isto.
Era uma vez um rei:
aqui está o que sei.
Era uma vez uma canastra:
para conto já bem basta!

Era uma vez um rei e uma rainha

Era uma vez
um rei e uma rainha:
entraram pela sala,
saíram pela cozinha.

Esconder, esconder

Esconder, esconder,
que à galinha vai ter;
agachar, agachar,
que à galinha vai dar.

Esta é a mão direita

Esta é a mão direita,
a esquerda é esta mão.
Com esta, digo sim;
com esta digo não.
Levanto a direita ao céu,
apanho a esquerda ao chão.
Agora já conheço,
já não faço confusão.

Este menino achou o ovo

Este menino achou o ovo;
este o assou;
este sal lhe deitou;
este o provou;
este o papou.

Eu tocarei

Eu tocarei,
tu cantarás,
ele ouvirá,
nós dançaremos,
vós aplaudireis,
eles contarão.

[ António José Ferreira ]

Eu tocarei (II)

Eu tocarei.
Eu tocarei, tu cantarás.
Eu tocarei, tu cantarás, ele ouvirá.
Eu tocarei, tu cantarás, ele ouvirá, nós dançaremos.
Eu tocarei, tu cantará, ele ouvirá, nós dançaremos, vós aplaudireis.
Eu tocarei, tu cantarás, ele ouvirá, nós dançaremos, vós aplaudireis.
Eu tocarei, tu cantarás, ele ouvirá, nós dançaremos, vós aplaudireis, eles contarão.

[ António José Ferreira ]

Fui ao vinagre

Fui ao vinagre à laginha
por ser um homem capaz.
Fui num dia e vim no outro:
sem tempo, nada se faz.

Janeiro, gear

Janeiro, gear;
Fevereiro, chover;
Março, encanar;
Abril, espigar;
Maio, engradecer;
Junho, ceifar;
Julho, debulhar;
Agosto, engravelar;
Setembro, vindimar;
Outubro, resolver;
Novembro, semear;
Dezembro, nascer.
Nasce Deus para nos salvar.

Luar, luar

Luar, luar,
vem-me buscar
que eu sou pequenino
e não posso andar.

Meu paizinho

Meu paizinho,
tum tum tum,
amanhã
são trinta e um.

Muito bem se canta na Sé

Muito bem se canta na Sé,
uns sentados, outros de pé.

O Papim papa a papinha

O Papim papa a papinha,
papinha, papa de pão.
Se o Papim não papa a papa,
o papão papa o Papim.
Mas o Papim papa a papa,
para o não papar o papão.

O tempo perguntou ao tempo

O tempo perguntou ao tempo
quanto tempo o tempo tem.
O tempo respondeu ao tempo
que o tempo tem tanto tempo
quanto tempo o tempo tem.

Pelas pernas visto os calções

Pelas pernas visto os calções,
pelos braços a camisola.
No pescoço ponho um laço,
nas mãos calço as luvas.
Nos pés calço os sapatos
e na cabeça ponho um chapéu.
Com um lenço assoo o nariz.
Nos olhos ponho os óculos,
nas orelhas ponho os brincos.
Com a boca dou beijinhos!

Sino de oiro toca bem

Sino de oiro toca bem,
tua voz vá muito além.
Dam delam delam.

Sino da igreja da Misericórdia da Batalha

Sino da Igreja da Misericórdia da Batalha

Sola, sapato, rei, rainha

Sola, sapato, rei, rainha,
Foi ao mar buscar sardinha
para a mulher do juiz
que está presa p’lo nariz.
Salta a pulga na balança
Que vai ter até à França,
Os cavalos a correr,
as meninas a aprender.
Qual será a mais bonita
Que se vai esconder?

Um dó li tá

Um dó li tá, era di mendá,
picareta floreta,
um dó li tá.

Uma velhinha tinha uma maleta

Uma velhinha
tinha uma maleta
Como tirava
o dinheiro da maleta?

Abria a maleta,
tirava a saquinha;
fechava a maleta,
abria a saquinha;
tirava o dinheiro,
fechava a saquinha;
abria a maleta,
fechava a saquinha,
fechava a maleta.

Una, duna

Una, duna,
tena, catena,
cigalha, migalha,
catrapis, catrapés,
conta bem que são dez.

Partilhe
Share on facebook
Facebook